Relembre: o MD-11 na TAM Linhas Aéreas

Relembre: o MD-11 na TAM Linhas Aéreas
Foto: Arquivo Flap

A TAM Linhas Aéreas (atual LATAM Brasil) veio a marcar maior presença no mercado aéreo brasileiro após a introdução do Fokker 100 em sua frota, no início da década de 90. No final dessa mesma década, a empresa introduziu seus primeiros jatos da Airbus, incluindo o A330 para operar voos internacionais.

Desde então, a TAM passou a ser uma grande cliente da Airbus tanto para jatos narrowbody, como widebody. No entanto, em 2006 a companhia surpreendeu ao encomendar quatro aeronaves da principal rival da Airbus: a Boeing. Naquele período a aviação brasileira sofria com a perda da Varig e um dos focos da TAM era preencher a lacuna deixada pela emblemática aérea brasileira. Os quatro primeiros Boeing 777-300 foram encomendados pela companhia no final de 2006 e em agosto de 2007, foram realizados mais quatro pedidos adicionais do modelo. Mas você deve estar aí se perguntando, o que isso tem a ver com os MD-11s da TAM? E a resposta para essa pergunta é: tudo!

Como os Triple 7 seriam entregues somente em 2008 e a TAM queria aproveitar de alguns slots deixados pela Varig, a Boeing emprestou três MD-11s à aérea brasileira por um preço bastante atrativo. Os trimotores da McDonnell Douglas chegaram até antes da companhia confirmar a aquisição das outras quatro unidades no segundo semestre de 2007.

TAM 05
Foto: Arquivo Flap

Os dois primeiros, PT-MSH e PT-MSI, foram incorporados em fevereiro de 2007 e o terceiro, PT-MSJ, no mês seguinte. Os três contavam com uma configuração padrão para seis passageiros na Primeira Classe, 49 na Executiva e 230 na Econômica. Um ‘great deal‘ para a TAM enquanto seus novíssimos Boeing 777 não chegavam.


LEIA TAMBÉM:


O trio de MD-11 da TAM ficou focado nos trechos São Paulo-Paris e também São Paulo-Milão. Eventualmente, os trijatos cumpriram outros trajetos, como Salvador-Miami (substituindo o A330 de forma pontual) e também passaram por outros aeroportos como Fortaleza, Bariloche, Rio de Janeiro – Galeão, Santiago, Recife e Veneza.

  • Curiosidade: O MD-11 de matrícula PT-MSJ voou em três companhias aéreas brasileiras. Ele começou sua carreira na VASP em 1996, foi para a VARIG em 2001 e por meio da Boeing chegou à TAM em 2007. Ele foi o único MD-11 a voar em três aéreas do Brasil e até hoje está ativo, mas voando lá nos Estados Unidos como N573FE na Fedex.

A permanência dos inusitados trimotores na frota da TAM durou pouco. Com a chegada do primeiro Boeing 777-300, PT-MUA, em agosto de 2008, o PT-MSI deixou de voar na companhia e foi embora naquele mesmo mês. Em sequência, o 77W de matrícula PT-MUB chegou em outubro de 2008 e o PT-MUC e PT-MUD em dezembro daquele mesmo ano. A cada Triple 7 que chegava, um MD-11 ia embora e o PT-MSH foi o segundo trijato a deixar a frota da TAM, em novembro de 2008, seguido do PT-MSJ no mês seguinte.

TAM 04
Foto: Arquivo Flap

O fim das operações na TAM também significou o fim dos MD-11s voando em empresas aéreas brasileiras depois de muitos anos consecutivos.

Vida curta, mas bem aproveitada. O fato é que a aeronave ficou linda e elegante no vermelho das cores da TAM.

Você chegou a voar em um MD-11 da TAM?

-> ASSINE AQUI A FLAP INTERNATIONAL

Uma resposta

  1. Trabalhava nesse ano na VEM (Varig Engenharia e Manutenção) e participei da manutenção dos MD11 para entrega a Tam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Últimas