Conheça o ecológico Aeroporto Seymour Baltra, o mais movimentado das Ilhas Galápagos

Conheça o ecológico Aeroporto Seymour Baltra, o mais movimentado das Ilhas Galápagos
Foto: Wikimedia

Dando sequência à nossa série de artigos sobre aeroportos ao redor do planeta, hoje vamos voar lá para o Oceano Pacífico e conhecer mais um deles.


História

Você provavelmente já ouviu falar nas Ilhas Galápagos, seja pela sua exótica biodiversidade ou pelas teorias criadas por Charles Darwin, que visitou o local em 1835. Pertencente ao Equador e denominado como um Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, o arquipélago recebe milhares de turistas, biólogos e pesquisadores todos os anos e sua principal porta de entrada são os aeroportos.

Os princípios da aviação na região datam da década de 30, quando aconteceu primeiro voo para Galápagos. Transportando carga dos correios, um hidroavião pousou pela primeira vez nas águas que ‘abraçam’ as ilhas no dia 6 de fevereiro de 1936.

Segunda Guerra Mundial

Anos mais tarde, durante a Segunda Guerra Mundial, as forças armadas norte-americanas construíram duas pistas na ilha de Baltra para servir como base militar. As obras acabaram no ano de 1942 e o local funcionava como apoio para defender toda a costa oeste da América do Sul e também o Canal do Panamá. No período da ocupação militar, as iguanas nativas da ilha foram praticamente extintas, sendo reintroduzidas na fauna local nos anos 90 e hoje são “visitantes” frequentes no aeroporto.

US Army Airfield on Baltra
Aeronaves da Força Aérea Norte-Americana sobrevoando a base aérea em Galápagos. Foto: U.S. Army

Com o fim do conflito, a maioria das tropas estadunidenses deixaram a região em 1945 e as estruturas militares foram desativadas no ano seguinte.

Em 1948, a base aérea foi entregue ao Governo do Equador, mas ficou praticamente sem receber movimento algum durante um período de mais de 10 anos.

A pista localizada na parte oeste da ilha foi permanentemente desativada e até hoje é possível observar as ruínas do local. Já a pista situada na costa leste, ganhou vida novamente no final da década de 50, quando os primeiros voos comerciais pousaram em Galápagos. Eles eram operados pela LIA (Línea Internacional Aérea) e ainda utilizavam a estrutura militar deixada pelos norte-americanos. Nos anos 80, foi construído um pequeno terminal de passageiros.

Novo terminal

Conforme a demanda por viagens para o local foi aumentando, houve a necessidade de uma reforma no aeroporto, que incluiu a construção de um novo terminal de passageiros, ampliação do pátio e a reconstrução da pista, além da instalação de sistemas para auxílio da navegação aérea. O projeto foi anunciado em 2008. As obras foram iniciadas em 2011, ano em que a administradora ECOGAL ganhou 15 anos de concessão do Aeroporto Seymour Baltra, e foram finalizadas em 2013.

No ano de 2012, o aeroporto ganhou o título de Primeiro Aeroporto Ecológico do Mundo, visto que a modernização do terminal foi minuciosamente estudada para não causar impactos ao ecossistema tão singular do local e mais de 75% dos materiais utilizados para construir o novo complexo de passageiros foram reciclados da antiga estrutura. Boa parte do terminal não possui ar condicionado, dada sua arquitetura bioclimática com ventilação natural, e 100% da energia necessária para operar o aeroporto vem de fontes renováveis. Essas questões fizeram com que o Aeroporto Seymour Baltra também passasse a ser conhecido como Galapagos Ecological Airport.


+CONHEÇA OUTROS AEROPORTOS: 


O Aeroporto Hoje

baltra aeroplane
Foto: Galapagos Specialists

O ecológico Aeroporto Seymour Baltra se consolidou como o mais movimentado das Ilhas Galápagos e pode receber mais de 300 mil passageiros anuais. Ele atende principalmente a ilha vizinha de Santa Cruz, que, ao contrário de Baltra, é habitada. As ilhas são conectadas por meio de duas opções de Ferry Boat e os passageiros que chegam ou partem do aeroporto necessariamente precisam cruzar o Canal de Itabaca que separa Baltra e Santa Cruz.

Atualmente, o aeroporto possui uma média de 50 e 60 partidas semanais e é atendido por cinco empresas aéreas: LATAM Airlines, Fly Galapagos, Emetebe Airlines, Avianca Equador e EquAir. Confira mais detalhes da malha de voos operada hoje por lá:

  • Avianca Equador: 12 frequências semanais para Guayaquil e oito voos na semana para Quito
  • EquAir: 7 frequências na semana para Guayaquil
  • LATAM Airlines: 17 frequências semanais para Guayaquil
  • Emetebe Airlines: com seus pequenos bimotores Britten Norman, a Emetebe Airlines conecta o Aeroporto Seymour Baltra com o Aeroporto de San Cristobal e também com o Aeroporto General Villamil, que está situado na ilha de Isabela, a maior de de Galápagos.
  • Fly Galapagos: assim como a Emetebe Airlines, a Fly Galapagos também realiza voos entre as ilhas do arquipélago.

Britten Norman da Emetebe Airlines. Foto: Divulgação
Britten Norman da Emetebe Airlines. Foto: Divulgação

Além dos voos regulares, o local também recebe voos da aviação executiva e militar.

Operações passadas

No passado, empresas como a TAME e a AeroGal (Aerolíneas Galapagos) eram frequentes por lá. A última mencionada foi criada em 1986 com o intuito de conectar as ilhas ao continente e em 2014 foi adquirida pelo grupo Avianca, passando a se chamar Avianca Equador. A maior aeronave que se tem registros operando no Aeroporto de Seymour Baltra é o Boeing 757-200. Os Boeing 727 e Boeing 737-200 também eram visitantes frequentes na ilha, que hoje é dominada pelos Airbus A319 e A320 e pelo Boeing 737-700.

Com certa frequência, o aeroporto é colocado em alguma rota ao redor do mundo oferecida por empresas, como por exemplo, a Latitudes ou Nat Geographic. Geralmente esses voos são realizados com o Boeing 757.

Especificações

image 19
Foto: Google Maps
  • IATA: GPS
  • ICAO: SEGS
  • Pista:
    • Comprimento: 2.400 metros
    • Largura: 35 metros
    • Cabeceiras: 14/32
    • Superfície: asfalto
  • Elevação do aeroporto: 63 m acima do nível do mar
  • O aeroporto de Seymour Baltra possui NDB e VOR (equipamentos de auxílio à navegação aérea)

Sendo a principal porta de entrada da região, o aeroporto Seymour Baltra permite que milhares de viajantes pousem todos os anos nas Ilhas Galápagos para explorar a sua biodiversidade única, além também de ser um exemplo para o mundo da aviação no quesito ecologia.

Você já pousou por lá?

-> ASSINE AQUI A FLAP INTERNATIONAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Últimas