AF072: o Boeing 747 que passou da pista no Tahiti e foi parar nos corais

AF072: o Boeing 747 que passou da pista no Tahiti e foi parar nos corais

O voo AF072 era uma ligação regular da Air France que partia de Paris para Papeete, no Tahiti, com uma parada em Los Angeles, nos Estados Unidos. A numeração do voo continua ativa atualmente, mas somente no trecho Paris-Los Angeles.

Naquele domingo, 12 de setembro de 1993, o Boeing 747-400 de matrícula F-GITA era o escalado para cumprir o AF072. Com 272 ocupantes a bordo, sendo 256 passageiros e 16 tripulantes, o quadrimotor decolou de Los Angeles e cruzou o Pacífico sem maiores problemas. O F-GITA havia sido o primeiro Boeing 747 da versão -400 recebido pela Air France e estava quase completando 3 anos de operação na companhia.

O tempo estava ótimo e a tripulação iniciou a descida para pouso na paradisíaca Polinésia Francesa e alinhou o jato com o procedimento VOR-DME da pista 22 do Aeroporto Tahiti Faa’a. Tudo transcorreu normalmente até o pouso.

Às 21h05 (local) o 747 tocou o solo a uma velocidade de 168 knots, não conseguiu parar e ultrapassou os limites da pista. O Boeing 747 da Air France acabou em uma parte rasa de corais na lagoa ao lado do aeroporto.

Todos os ocupantes evacuaram o quadrimotor e apenas quatro tiveram ferimentos leves.

Conclusão

Os pilotos comandaram a aproximação com o piloto automático desconectado (procedimento normal), mas com o sistema de automação da velocidade ativada. A investigação concluiu que por conta da aproximação instável, o sistema de aceleração automática iniciou uma arremetida, mas o piloto prosseguiu com o pouso, segurando a as manetes de potência, contrariando assim o sistema automático.

Com isso, a aeronave tocou o solo um pouco mais a frente e mais rápida do que deveria e, dois segundos após o toque, o motor 1 foi colocado em posição de aceleração máxima pelo próprio sistema automático. Consequentemente os spoilers não se abriram e o sistema de automatic brake foi desativado. O reverso foi aplicado nos outros três motores, no entanto, por conta da assimetria de potência, o reverso do motor 4 acabou parando de funcionar.

Outro fator apontado como fator contribuinte foi a falta de comunicação entre os pilotos.


LEIA TAMBÉM: Pouso no Mar do Caribe: conheça a história do voo 980 da Overseas


F-GITA

Dias após o incidente, removeram o F-GITA do local e uma equipe de técnicos da Air France voou até o Tahiti para trabalhar no 747, que foi recuperado. A aeronave voltou a voar regularmente pela companhia, onde operou até 2010, quando acabou aposentado.

O quadrimotor foi desmontado em 2011 entrou para história ao ser o primeiro 747 da versão -400 a ser completamente desmanchado.

Assista ao vídeo sobre a ocorrência:

-> ASSINE AQUI A FLAP INTERNATIONAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Últimas